junho 03, 2010

....



Esses dias não tem cido faceis, eu ando pelas ruas com meu fone de ouvido torcendo para ninguem falar comigo, eu chego no studio coloco uma musica, ponho meus fones  e fico vendo e tratando as fotos, vendo as pessoas nas fotos, as paisagens, eu penso o que serão dessas pessoas hoje em dia  porque são fotos antigas, eu penso se alguns ainda estão vivos, se estão felizes, se eles sabem que essa foto existe.
O que eu mais tenho escutado é que eu tenho um bom coração, eu acabo acreditando, mesmo que isso não tenha me levado a nada ate hoje.
Eu fiquei em um colégio interno por 3 anos, La uma vez um frei mi disse, que eu teria dificuldades na idade que eu estou, por que ele sabia como eu iria ser, e dos meu problemas de aceitar as tristezas do mundo e as indiferenças, ele mi dizia que eu não devia dividir meu lanche com meu melhor amigo que não tenha dinheiro para levar,e  que eu devia saber que tem pessoas no mundo que não vão ter, e eu não vou poder  fazer nada, eu tenha 13 anos e acreditava que eu poderia fazer um dia. Passou um ano esse meu amigo, foi correndo para casa ver a mãe que viajava sempre  por isso Também ele estava La, era uma sexta feira a noite, e nos saímos sábado pela manha para ir para casa, mas o frei liberou ele para sair na sexta porque ele so poderia ver a mãe dele esse dia, a ultima palavra que ele mi disse foi. ( ou segunda eu trago o dinheiro da lanche, minha mãe vai me da ).
La pelas 3 da madrugada o frei acordou todos  no  meu quarto e me pediu para sair do quarto  um instante eu achei que era para dar um sabão nos meninos que uma noite antes tenham enchido o armário de outra cara de papel, ai ele me chamou e mi disse o ocorrido.
Meu amigo tenha corrido de mais para ver a mãe, e atravessou na frente do ônibus em frente o BH shoping, mas não olhou antes  e o carro tenha pegado ele.
Essa noite eu dormi sem chorar, porque eu pensei que na segunda ele estaria La sem lanche como sempre,  mas a segunda veio  e ele não estava La, como sempre sem lanche e com o tênis furado no dedão. E não poderiamso mais  continuar sonhando com os carros e as namoradas que íamos ter.  Ficávamos olhando as meninas  do colégio do lado e pensando em pedi elas para namorar, mas como sempre eu era tímido e bobo, e não também não podia ter namoro no colégio mas eu namorava com elas sem elas saber.
Eu nunca contei isso a ninguém, mas esses dias eu lembrei muito dessa época e de como esta tudo certo como o frei mi disse, o frei que já voltou para o pais dele, e não sei se estar vivo ainda.
E do meu amigo, Felipe porque por alguns anos eu consegui fazer o que falávamos em fazer,  eu queria  ter podido mostrar a ele tudo isso. Mas ele deve estar  vendo de algum modo.
Eu espero que no céu tenha lanche, o mirabel de morango que era o que ele mais gostava........

1 comentários:

Luby disse...

Você nunca me contou essa história... Felipe...se ele estiver te vendo agora, certamente estará muito feliz por você e, se houver céu, um dia ele vai te receber com muitos mirabels de morango (ou de chocolate - que é o sabor que você gosta). E ah, o Frei estava errado. Imagina se você não tivesse dividido o lanche... =~(
A Nina te manda beijos! Boa noite, bom feriado. Saudades. Lú.