dezembro 18, 2009


Eu tenho pensado bastante na minha vida e nas pessoas que já passaram por ela. É engraçado como damos valor as pessoas somente quando elas estão fora do alcance de nossos abraços.
O mundo hoje parece frio, pessoas frias, falsas. Mas acaba que sempre foi assim talvez.
Eu realmente queria que tudo fosse diferente, mas tem dias que eu penso que talvez eu seja um grande idiota de querer que as pessoas sejam mais humanas ou mais sinceras, parece que estamos em constante competição, num vida frenética atrás de sempre mais e mais coisas.
Nunca tem fim, nunca está bom, nunca estamos satisfeitos e sempre achamos que o outro tem a vida melhor.
Até que um dia conseguimos tudo que queríamos e vemos que não temos o mais importante...

dezembro 06, 2009





Vultos
São seis horas da tarde, e as pessoas estão correndo para suas casas, todas apressadas. Na cabeça apenas o numero de seus ônibus, na mente apenas que querem chegar em casa rápido para não perder a novela.  Todos em forma de vultos, ninguém conhece ninguém, ninguém reconhece ninguém.
Porque nossas vidas são assim, só paramos pra ver coisas ruins, eu sempre reparo isso, quando acontece um acidente todo mundo para pra ver ,mas quando tem alguém fazendo algo bom, quase ninguém da a mínima.
Eu sei que vivemos no mundo onde pessoas fazem  coisas ruins, mas também tem muitas pessoas que fazem coisas boas.
Tem dia que eu queria parar as pessoas nas ruas e dizer a elas para irem mais devagar, pra elas não preocuparem tanto com o dinheiro e esquecer de serem humanas.
Um dia desses uma velinha no ônibus ficou me perguntando sobre fotos, acho que  porque viu que eu estava com a câmera na mão, ela não sabia nada , apenas queria me ouvir e conversar, percebi  isso quando ela me perguntou se eu era assim sempre, atencioso. Eu fiquei envergonhado primeiro, depois disse a ela que geralmente era  calado. Ela sorriu e disse que eu era calado só pras pessoas que não conversavam.
É engraçado eu sempre penso porque essas coisas  acontece comigo...
Eu me lembro de quando eu era criança e minha mãe trabalhava muito, sempre com pressa, trabalhando  em dois empregos, as vezes ela chegava em casa e eu queria contar como foi meu dia, ela fingia escutar e dormia. Mas eu sempre ficava pensando que eu tenha que entender que ela trabalhava muito.
E fui ficando cada vez mais calado...
Deve ter pessoas que querem apenas conversar, apenas sentar e falar sobre seu dia.

Vultos !!!  Acho que todos nós somos um pouco,  mas tenho lutado pra não ser, se não daqui alguns anos o ser humano vai evoluir pra uma raça  muda, com dedos para digitar, controle remoto na mão e um relógio no braço..



Tenho vontade de pegar minha mochila e sair por ai tirando fotos, sem pensar que dia irei voltar. Não fugindo dos problemas, mas procurando sentir o meu coração batendo mais forte. Eu deito e sonho com lugares que ainda não fui, paisagens que minha lente ainda não registrou.
Tenho pensado como uma coisa tão insignificante pra alguns me move tanto.
Hoje pela manha fui ao centro , fiquei parado la por uma hora, apenas observando as coisas e as pessoas andando. Estava chovendo e tenha varias pessoas sorrindo fazendo suas compras de natal, mas Também vi muitas pessoas dormindo no canto praticamente molhadas, e estranho porque eu nunca consigo pensar só no lado bonita das fotos. Ninguém pode criticar as pessoas de estarem ali fazendo suas compras felizes e gastando seu próprio dinheiro. Mas é estranho tanta tristeza no meio de tanta felicidade, mas pode ser estranho só para mim, talvez!!!
Acho que na verdade eu não preciso mais procurar a felicidade eu só preciso entendê-la.

dezembro 02, 2009

Tempo



Quando éramos ciranças, torcíamos para ficarmos mais velhos rápido, e agora que somos adultos torcemos para que o tempo passe devagar, ou para que fosse possível voltar no tempo de quando éramos crianças.

 Quando estamos em casa, queremos viajar, estar longe, achamos que todos os lugares são melhores que ela, mas, se o fazemos, de repente tudo o que queremos é voltar a estar em casa. e poder nos sentir em casa.

 O tempo passa rápido, e ainda bem que não podemos pará-lo. Eu penso que em meu último momento de vida a primeira coisa que virá à minha cabeça é se estou no lugar onde sempre quis estar.

novembro 25, 2009

Desigualdade


No mundo as coisas são assim: algumas pessoas têm muito e outras não têm nada.
Mas por um lado, acaba que essas pessoas que não têm nada podem ser mais humanas que as que têm muito.

Essa semana eu vi um morador de rua pedindo comida. Ele conseguiu ganhar um lanche e ainda o dividiu com o cachorro que o acompanhava, enquanto nós muitas vezes os tocamos ou fingimos que eles não estao ali.

Eu tento sempre ajudar as pessoas de alguma forma, não é pra dizer que fiz minha parte, nem pra deitar a noite a cabeça no travisseiro e pensar que fiz uma boa ação. É apenas para me sentir vivo, e sentir que ainda podemos fazer coisas que, mesmo sendo pequenas,  talvez possam siginificar muito para a outra pessoa.

A desigualdade é triste....

novembro 17, 2009



A vida.

A vida pode ter altos e baixos, a coisas ruins e coisas boas. Tenho medo, mas acho que todos os dias todos nos temos medo. Mas o que me leva a acreditar em tempos bons, são os momentos que eu lembro que ja enfrentei, coisas ruins, momentos dificeis. Fases que eu achei q nunca iram passar. Desde dos meu 13 anos eu venho trabalhando para ter um futuro de ferente dos que cresceram comigo e dos meu familiares. As vezes eu penso que talvez não podemos mudar o que nos é destinado. Mas eu sempre me recuso a acreditar nisso, então preciso continuar.
Preciso continuar sonhando, mesmo que as vezes tudo parece ser um grande pesadelo.
Derrepente seja isso a minha vida, não dexistir nunca, de um certo modo isso já é diferente do que eu cresci vendo, e isso me conforta, Me faz dormir bem, e acordar pensando que posso mudar tudo.
Novo começo...

novembro 16, 2009

Dias felizes





Eu sempre penso que os dias podem ser mais felizes, e que tudo so depende de nós mesmo.
As cores dessa foto mostram a alegria dos parques de diversões que agoram ficam perdidas por causa dos videogames e computadores, crianças e adultos não saem mais de casa e não aproveitam os dias ensolarados como esse.



Fotografia.


Eu tenho um sonho de um dia pode sair pelo mundo registrando tudo que meus olhos conseguirem ver. Não apenas as paisagens bonitas da Europa, ou de outros continentes, mas também os olhares tristes de um menino africano ou a alegria de um menino que acabou de ganhar um autógrafo do seu jogador de futebol preferido.
Poder registrar as guerras, as derrotas, as conquistas, a paz, o jogador que perde um pênalti em uma final de campeonato, como também a do goleiro que explode de alegria pegando o pênalti.

A vida se parece com um grande álbum fotográfico, porque enquanto você registra uma felicidade com sua lente, logo em seguida a mesma lente registrará o olhar triste do outro. Para alguém estar feliz quase sempre alguém ficará triste, mas ali, impressas no papel, as imagens podem dar outro olhar para as piores tristezas.
Eu penso que uma imagem, uma foto, pode dizer mais do que uma frase. Elas registram momentos que ficarão ali para sempre impressos no papel e que vão envelhecer juntamente com a lembrança nele registrado.

As fotos registram momentos felizes, momentos tristes, o crescimento, o envelhecimento, a vida e a morte, sempre querendo registrar o lado bonito de todas as coisas e todos os momentos.
Eu sempre ando na rua e vejo um milhão de possíveis fotos que talvez ninguém nunca verá, fotos que nunca mais serão tiradas, fotos que não irão envelhecer, porque aquele momento passou e o tempo não volta.
Aquela pessoa chorando no ponto de ônibus, ou o menino tomando água da mangueira que molha as plantas da praça, ou o pai que tira a roupa do filho na Praça da Estação para ele correr em volta do chafariz, ou a menina que acaba de receber um pedido de casamento ou o pai desesperado que grita na rua porque acaba de receber a noticia que seu filho morreu e ele jamais lhe pediu perdão por tê-lo deixado.

Essas fotos não foram ainda feitas , elas estão apenas guardadas dentro da minha cabeça, teriam sido bonitas fotos, teriam sido momentos registrados para sempre, e é isso que me move a perseguir esse sonho, para não deixar momentos assim se perderem e serem apagados pela memória com o tempo.